Sugiro, então, alguns exercícios sobre “Os Lusíadas”.

Creio que nesta fase do vosso estudo será uma altura crucial para testarem os vossos conhecimentos. Por isso optei por este tipo de exercício.

1.1. A situação inicial tem lugar cinco dias depois da partida da armada da Baía de Santa Helena.

1.2. Situação incial: (…) “cortando/ os mares nunca de outrem navegados; Prosperamente os ventos assoprando (…) estando descuidados”. Elemento perturbador: ” Quando hua nuvem (…) os ares escurece.

1.2.1. O emprego do gerúndio “assoprando /estando/vigiando” seguido do presente do indicativo “escurece/aparece sugere a duração de uma situação anterior subitamente interrompida.

2.1. Adjectivação expressiva: “tão temerosa vinha a nuvem” (hipálage); oração consecutiva: “que pôs nos corações um grande medo”; aliteração do som /r/: bramido o negro mar de longe brada; Apóstrofe: “Ó Potestade (…) sublimada; Frase interrogativa: “que ameaço divino ou que segredo/ Este clima e este mar nos apresenta”.

3.1. É uma personagem imaginária, mitológica; simbólica.

3.1.1. A expressão utilizada para nomear “hua figura” é disso comprovativa.

3.2. “Figura robusta e válida -; rosto carregado/ barba esquálida/ olhos encovados/ boca negra/ dentes amarelos; postura medonha e má e a cor terrena e pálida; disforme e grandíssima estatura” (superlativo absoluto sintéctico).

3.3. São correctas as seguintes opções: acentuar as dimensões extraordinárias da personagem, tornar clara a estatura e magnitude da entidade descrita e tornar mais concreta aos olhos do narratário essa figura.

3.3.1. São opções correctas as duas seguintes: o narrador é autodiegético; o narrador está face ao narratário.

4.1. Este episódio insere-se no Canto V da Obra, ou seja, no seu canto central. Além disso, o episódio integra a parte central do canto, qu etem no total de 100 estâncias.

4.2. Este é um episódio simbólico (a este respeito consultem os apontamentos).

4.3. Este episódio insere-se no plano da viagem.

Qualquer dúvida com a correcção, deixem um comentário.

Biblioteca Digital Camões

20 Janeiro 2009

A Biblioteca Digital Camões, do Instituto Camões, disponibiliza online cerca de 1.200 documentos da cultura portuguesa dos últimos cinco séculos. A partir de agora estarão disponíveis online textos literários, pautas musicais e ensaios e estudos científicos, entre outros, perfazendo um conjunto de mais de 1.200 documentos referentes aos últimos cinco séculos da história de Portugal, que antes eram de acesso condicionado. Outra novidade é que os documentos podem ser descarregados para o computador ou para dispositivos móveis, sendo possível, desde já, descarregar “Os Lusíadas” para o telemóvel.

(in bookcrossingEBi)

Batalha de Aljubarrota

7 Janeiro 2009

The Battle of Aljubarrota
Image via Wikipedia

Na próxima quinta-feira iniciamos o estudo do “Episódio de Aljubarrota”. Sabem que “desde que em 2002 se iniciou o processo de recuperação e valorização do campo de São Jorge, a Fundação Batalha de Aljubarrota verificou que o elemento decisivo para o sucesso da salvaguarda deste património era a criação de um Centro de Interpretação que apresentasse a Batalha de Aljubarrota ao público de uma forma rigorosa, instrutiva e cativante. Foi assim possível, através do diálogo com os Ministérios da Cultura e da Defesa Nacional, transformar o antigo Museu Militar no Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota (CIBA): um projecto inovador que, tirando partido das novas tecnologia, relança este conjunto patrimonial e a vivência que podemos ter dele”.

Por favor, visitem a Fundação da Batalha Aljubarrota.

Reblog this post [with Zemanta]

Numa busca rápida pela Web, encontrei alguns exercícios que podem ser úteis:

*Consílio dos Deuses
*Webquest
*Webquest
*Questionário
*Questionário
*Slideshare

Ainda os mapas de conceitos

25 Novembro 2008

Bem, isto parece que está para durar. O último comentário da professora Altina, diz o seguinte:

“Fazer um mapa conceptual é muito difícil, e tu conseguiste, grandes parabéns para ti. Tens de conhecer bem a problemática e de estruturar bem os tópicos. A estrutura que apresentas é uma estrutura possível. Tem uma ou outra gralha, mas isso é normal no trabalhos complexos.
Desafio os teus colegas a descobrirem-nas e a sugerirem mapas alternativos. Também podes/deves tentar, mas acho que já tens a tua quota de esforço neste trabalho, podes é comentar as dos teus colegas. Vamos esperar as sugestões deles e depois conversamos se novo, concordas? Eu também tenho um mapa alternativo, mas vou ter de estudar um bocadinho antes de o colocar aqui… há muito que não olho com olhos de estudo para “Os Lusíadas”, mas digo-te que foi uma das obras que mais gostei de estudar quando tinha a tua idade… ou seja, há 30 e tal anos atrás… Com esta referência, já tenho desculpa para estar esquecida, não tenho? :)))
Já sei que me ganham se entrarmos em competição, mas eu arrisco na mesma: quem faz o melhor mapa conceptual de “Os Lusíadas”?
Vou ver as dos teus colegas, ainda não vi”.

Vamos lá!

“Os Lusíadas”

11 Novembro 2008

Uma síntese daquilo que aprendemos sobre “Os Lusíadas“.