Sugiro, então, alguns exercícios sobre “Os Lusíadas”.

Creio que nesta fase do vosso estudo será uma altura crucial para testarem os vossos conhecimentos. Por isso optei por este tipo de exercício.

Anúncios

1.1. A situação inicial tem lugar cinco dias depois da partida da armada da Baía de Santa Helena.

1.2. Situação incial: (…) “cortando/ os mares nunca de outrem navegados; Prosperamente os ventos assoprando (…) estando descuidados”. Elemento perturbador: ” Quando hua nuvem (…) os ares escurece.

1.2.1. O emprego do gerúndio “assoprando /estando/vigiando” seguido do presente do indicativo “escurece/aparece sugere a duração de uma situação anterior subitamente interrompida.

2.1. Adjectivação expressiva: “tão temerosa vinha a nuvem” (hipálage); oração consecutiva: “que pôs nos corações um grande medo”; aliteração do som /r/: bramido o negro mar de longe brada; Apóstrofe: “Ó Potestade (…) sublimada; Frase interrogativa: “que ameaço divino ou que segredo/ Este clima e este mar nos apresenta”.

3.1. É uma personagem imaginária, mitológica; simbólica.

3.1.1. A expressão utilizada para nomear “hua figura” é disso comprovativa.

3.2. “Figura robusta e válida -; rosto carregado/ barba esquálida/ olhos encovados/ boca negra/ dentes amarelos; postura medonha e má e a cor terrena e pálida; disforme e grandíssima estatura” (superlativo absoluto sintéctico).

3.3. São correctas as seguintes opções: acentuar as dimensões extraordinárias da personagem, tornar clara a estatura e magnitude da entidade descrita e tornar mais concreta aos olhos do narratário essa figura.

3.3.1. São opções correctas as duas seguintes: o narrador é autodiegético; o narrador está face ao narratário.

4.1. Este episódio insere-se no Canto V da Obra, ou seja, no seu canto central. Além disso, o episódio integra a parte central do canto, qu etem no total de 100 estâncias.

4.2. Este é um episódio simbólico (a este respeito consultem os apontamentos).

4.3. Este episódio insere-se no plano da viagem.

Qualquer dúvida com a correcção, deixem um comentário.

Biblioteca Digital Camões

20 Janeiro 2009

A Biblioteca Digital Camões, do Instituto Camões, disponibiliza online cerca de 1.200 documentos da cultura portuguesa dos últimos cinco séculos. A partir de agora estarão disponíveis online textos literários, pautas musicais e ensaios e estudos científicos, entre outros, perfazendo um conjunto de mais de 1.200 documentos referentes aos últimos cinco séculos da história de Portugal, que antes eram de acesso condicionado. Outra novidade é que os documentos podem ser descarregados para o computador ou para dispositivos móveis, sendo possível, desde já, descarregar “Os Lusíadas” para o telemóvel.

(in bookcrossingEBi)

Batalha de Aljubarrota

7 Janeiro 2009

The Battle of Aljubarrota
Image via Wikipedia

Na próxima quinta-feira iniciamos o estudo do “Episódio de Aljubarrota”. Sabem que “desde que em 2002 se iniciou o processo de recuperação e valorização do campo de São Jorge, a Fundação Batalha de Aljubarrota verificou que o elemento decisivo para o sucesso da salvaguarda deste património era a criação de um Centro de Interpretação que apresentasse a Batalha de Aljubarrota ao público de uma forma rigorosa, instrutiva e cativante. Foi assim possível, através do diálogo com os Ministérios da Cultura e da Defesa Nacional, transformar o antigo Museu Militar no Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota (CIBA): um projecto inovador que, tirando partido das novas tecnologia, relança este conjunto patrimonial e a vivência que podemos ter dele”.

Por favor, visitem a Fundação da Batalha Aljubarrota.

Reblog this post [with Zemanta]

Numa busca rápida pela Web, encontrei alguns exercícios que podem ser úteis:

*Consílio dos Deuses
*Webquest
*Webquest
*Questionário
*Questionário
*Slideshare

Ainda os mapas de conceitos

25 Novembro 2008

Bem, isto parece que está para durar. O último comentário da professora Altina, diz o seguinte:

“Fazer um mapa conceptual é muito difícil, e tu conseguiste, grandes parabéns para ti. Tens de conhecer bem a problemática e de estruturar bem os tópicos. A estrutura que apresentas é uma estrutura possível. Tem uma ou outra gralha, mas isso é normal no trabalhos complexos.
Desafio os teus colegas a descobrirem-nas e a sugerirem mapas alternativos. Também podes/deves tentar, mas acho que já tens a tua quota de esforço neste trabalho, podes é comentar as dos teus colegas. Vamos esperar as sugestões deles e depois conversamos se novo, concordas? Eu também tenho um mapa alternativo, mas vou ter de estudar um bocadinho antes de o colocar aqui… há muito que não olho com olhos de estudo para “Os Lusíadas”, mas digo-te que foi uma das obras que mais gostei de estudar quando tinha a tua idade… ou seja, há 30 e tal anos atrás… Com esta referência, já tenho desculpa para estar esquecida, não tenho? :)))
Já sei que me ganham se entrarmos em competição, mas eu arrisco na mesma: quem faz o melhor mapa conceptual de “Os Lusíadas”?
Vou ver as dos teus colegas, ainda não vi”.

Vamos lá!

“Os Lusíadas”

11 Novembro 2008

Uma síntese daquilo que aprendemos sobre “Os Lusíadas“.