Dia dos Namorados

12 Fevereiro 2009

Como tenho a certeza que o Dia dos Namorados é para todos vós uma data muito especial, pensei propor-vos uma actividade que fosse significativa, criativa e relacionada com a Língua Portuguesa. Porém, o tempo foi passando e, só agora mesmo, me ocorre uma actividade que será certamente motivadora.

Consiste, então, no seguinte: cada um vai seleccionar um poema, um parágrafo de um texto, cujo assunto tenha a ver com amor, amizade, partilha, sentimentos ou outro assunto que se enquadre neste campo semântico.

Claro que, se quiserem também podem apresentar textos da vossa autoria.

Aguardo com muita expectativa os vossos comentários.

[Como o Dia dos Namorados é já no próximo sábado, pelo que poderão apresentar os vossos trabalhos durante o fim-de-semana se assim o entenderem].

16 Responses to “Dia dos Namorados”

  1. catarina gomes Says:

    Quero – te

    Quero nos teus braços ser acarinhada
    Nos teus beijos encontrar todo o amor
    Desnudando minha alma apaixonada
    E alucinada para sentir o teu calor.

    Te quero pomposo e imperioso
    Libertando todos os meus desejos contidos
    Com teu jeitinho atrevido e malicioso
    Provocando em mim suspiros e gemidos.

    Permita – me teu amor ardente
    Saciando as minhas desvairadas fantasias
    Toma – me nos teus braços com desejos ardentes
    É grave em mim, as marcas das tuas ousadias.

    Faça – me prisioneira de todos os seus carinhos
    Meu corpo inquieto clama por paixão
    Quero a chama de todos os ninhos
    E teu corpo como lavas de um vulcão.

  2. Ana Gomes Says:

    Aqui um poema que fala do amor e da amizade.

    Perguntei a um sábio,
    a diferença que havia
    entre amor e amizade,
    ele me disse essa verdade…
    O Amor é mais sensível,
    a Amizade mais segura.
    O Amor nos dá asas,
    a Amizade o chão.
    No Amor há mais carinho,
    na Amizade compreensão.
    O Amor é plantado
    e com carinho cultivado,
    a Amizade vem faceira,
    e com troca de alegria e tristeza,
    torna-se uma grande e querida
    companheira.
    Mas quando o Amor é sincero
    ele vem com um grande amigo,
    e quando a Amizade é concreta,
    ela é cheia de amor e carinho.
    Quando se tem um amigo
    ou uma grande paixão,
    ambos sentimentos coexistem
    dentro do seu coração.

  3. Helena Costa Says:

    Excerto de “Antes de Começar”, de Almada Negreiros

    A BONECA – E eu sou tão pequenina! P’ra que me deram um coração tão grande?…

    O BONECO – Deus fez-nos um coração p’ra não sermos tão pequenos como nós…

    A BONECA – Mas é que não tenho forças p’ra ele! Ele é grande de mais p’ra mim! Tu já reparaste bem como eu sou pequenina?

    O BONECO – Tu és do tamanho dos que têm coração.

    A BONECA – Ah!… é assim, juro-te, é exactamente assim como tu estás a dizer!… mas a hora não chega!… Eu saberei esperar… mas o tempo não espera!..

    O BONECO – Assim, é não saber esperar!

    A BONECA – Eu por mim não me importo… mas o coração?

    O BONECO – O coração espera por nós!

    A BONECA – Mas tu não vês que eu sou pequenina… que não tenho forças… que eu não sou como o mar que não se gasta!… tu não vês que eu passo depressa?

    O BONECO – Por mais depressa que passes, o teu coração espera por ti… o teu coração não espera mais ninguém… Se tu não vieres, o teu coração não espera mais ninguém… Se tu não vieres nunca, o teu coração não conta, não ouve. É como se não tivesse havido coração. Por mais depressa que passes, dá-te inteira ao teu coração… Porque só sabe do tempo quem não traz coração… o tempo é pecado de quem não sabe amar!!!

    A BONECA – Ah!… é assim, juro! É exactamente assim que bate o coração!

    O BONECO – Acredita no coração! Ele sabe de cor o que quer!… Não foi necessário ao coração ir aprender o que queria… A nossa cabeça é que precisa de aprender o que quer o coração!

    A BONECA – É assim que bate o coração…

    O BONECO – O coração nunca está só… O nosso coração é nosso, ele não pode viver sem aquele a quem pertence… ele espera por nós!

    A BONECA – Às vezes, a cabeça quer ser mais do que o coração… e fica de costas viradas p’ro coração!

    O BONECO – A cabeça não deve ser senão o que o coração quiser! Nunca é o coração que nos falta, somos nós que faltamos ao coração!

    A BONECA – Ah!… é assim, juro, é assim que bate o coração!…

    O BONECO – Só não entende o coração quem não sabe escutá-lo… ele está sempre a contar aquela hora por que se espera… aquela hora que existe p’ralém da sabedoria… e que tem a forma simplicíssima dum coração natural!…

  4. Altina Says:

    “Querida. Veio-me hoje uma vontade enorme de ter amar. E então pensei: vou-te escrever. Mas não te quero amar no tempo em que te lembro. Quero-te amar antes, muito antes. É quando o que é grande acontece. E não me digas diz lá porquê. Não sei. O que é grande acontece no eterno e o amor é assim, devias saber. Ama-se como se tem uma iluminação, deves ter ouvido. Ou se bate forte com a cabeça. Pelo menos comigo foi assim. Ou como quando se dá uma conjugação de astros no infinito, deve vir nos livros…vou pensar melhor a ver se eu próprio entendo.”

    Vergílio Ferreira, em nome da terra (primeiras linhas do romance)
    Dedicado com carinho à Ádila e ao Paulo e a todos os sentimentos bonitos nascidos e a nascer no coração destes jovens tão fantásticos!🙂

  5. Altina Says:

    Ups, desculpem uma gralha que atraiçoa o texto: não era “conjugação de astros”, mas “conjunção de astros”. Ai, ai, as pressas tão inimigas do amor🙂

  6. Sofia Vale Says:

    Deixo uma música que gosto muito

    Rui Veloso
    Primeiro beijo

  7. Diana Cachada Says:

    NÃO TENHAS MEDO DE AMAR A VIDA

    Não tenhas medo de amar a vida

    De lhe entregares

    Toda a força dos teus sonhos,

    Dos anseios escondidos

    No sacrário dos teus pensamentos.

    Ama-me

    Como se hoje fosse o último dia

    E nunca mais nos encontrássemos.

    Somos os dois fogo, terra e mar

    E incapazes de nos saciar

    Viveremos na eternidade

    Ligados um ao outro. 🙂

  8. Dulce Enes Says:

    Vou optar por seleccionar apenas, frases presentes no excerto do filme colocado pelo professor:

    “Uma vida sem amor? Isso é terrível.”

    “O amor é como o oxigénio.”

    “O amor é tudo o que precisamos.”

    “O amor eleva-nos ao topo do mundo.”

    “O amor faz-nos agir como idiotas.”

    “Embora nada nos vá manter juntos, podíamos roubar o tempo só por um dia, podíamos ser heróis para todo o sempre.”

  9. Flávia Dias Says:

    Eu optei por este lindo poema de Luís Vaz de Camões.

    Amor é fogo que arde sem se ver

    Amor é fogo que arde sem se ver;
    É ferida que dói e não se sente;
    É um contentamento descontente;
    É dor que desatina sem doer;

    É um não querer mais que bem querer;
    É solitário andar por entre a gente;
    É nunca contentar-se de contente;
    É cuidar que se ganha em se perder;

    É querer estar preso por vontade;
    É servir a quem vence, o vencedor;
    É ter com quem nos mata lealdade.

    Mas como causar pode seu favor
    Nos corações humanos amizade,
    Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

  10. Sara Branco Says:

    Amar
    “Que pode uma criatura senão,
    entre criaturas, amar?
    amar e esquecer,
    amar e malamar,
    amar, desamar, amar?
    sempre, e até de olhos vidrados amar?

    Que pode, pergunto, o ser amoroso,
    sozinho, em rotação universal, senão
    rodar também, e amar?
    amar o que o mar traz à praia,
    o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha, é sal, ou precisão de
    amor, ou simples ânsia?

    Amar solenemente as palmas do deserto, o que é entrega ou adoração
    expectante, e amar o inóspito, o cru, um vaso sem flor, um chão de
    ferro, e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de
    rapina. Este é o nosso destino: amor sem conta, distribuído pelas coisas
    pérfidas ou nulas, doação ilimitada a uma completa ingratidão, e na
    concha vazia do amor a procura medrosa, paciente, de mais e mais amor.

    Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa amar a água
    implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.”

    Carlos Drummond de Andrade

  11. Gabriel Vilas Boas Says:

    Enquanto não superarmos
    a ânsia do amor sem limites,
    não podemos crescer
    emocionalmente.

    Enquanto não atravessarmos
    a dor de nossa própria solidão,
    continuaremos
    a nos buscar em outras metades.
    Para viver a dois, antes, é
    necessário ser um.

    Fernando Pessoa

  12. Diana Barros Says:

    Paixão Ardente

    Esta chama voraz que arde em meu peito
    Me atordoa, me embala, me agita no leito,
    Em pseudos e doces espasmos de dor…
    É dor saborosa, que leva à loucura,
    Que acalma, aquece, entorpece, tortura,
    Insolentes e castos eflúvios de amor…

    Que são estas ondas tão incoerentes,
    De sons e de cores, fortes, envolventes,
    De tantos sabores paradoxais?
    Serão os sentidos que estão me enganando,
    Ou apenas os sonhos que vão me embalando,
    Em meus dias maduros… tristes… outonais?

    Confesso…
    … é o grito, o brado, o clamor, a explosão,
    Louco sentimento mesclado em paixão,
    Que sinto por ti e é tão delirante…
    Que só se acalma quando adormeço
    E do mundo, da vida, das dores esqueço,
    No pouso encantado de teu peito amante…

    Oriza Martins

  13. freixo Says:

    As sem-razões do amor

    Eu te amo porque te amo,
    Não precisas ser amante,
    e nem sempre sabes sê-lo.
    Eu te amo porque te amo.
    Amor é estado de graça
    e com amor não se paga.

    Amor é dado de graça,
    é semeado no vento,
    na cachoeira, no eclipse.
    Amor foge a dicionários
    e a regulamentos vários.

    Eu te amo porque não amo
    bastante ou demais a mim.
    Porque amor não se troca,
    não se conjuga nem se ama.
    Porque amor é amor a nada,
    feliz e forte em si mesmo.

    Amor é primo da morte,
    e da morte vencedor,
    por mais que o matem (e matam)
    a cada instante de amor.

    Carlos Drummond de Andrade

  14. Altina Says:

    Obrigada por terem partilhado textos tão, tão belos!

    Um desafio: que tal cada um fazer um pequeno poema a partir de versos “roubados” a cada um dos textos aqui expostos? Podiam publicar no vosso blogue individual.
    É uma maneira de excercitar a criatividade e estender o amor🙂

  15. pedro santos Says:

    Que pode uma criatura senão,
    entre criaturas, amar?
    amar e esquecer,
    amar e mal amar,
    amar, desamar, amar?
    sempre, e até de olhos vidrados amar?

  16. Rafaela Rodrigues Says:

    Deixo aqui uma musica que eu gosto muito:
    Dama Bete
    Defenição de amor…


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: