“Há 20 anos, as tecnologias de informação e comunicação, os textos electrónicos e o trabalho em rede praticamente não existiam. Estes programas têm isso em conta, sendo certo que todas essas ferramentas e linguagens interferiram e interferem no modo como se fala e como se escreve e a escola tem de estar atenta a isso”, sublinhou professor Carlos Reis, o coordenador da equipa dos novos programas de Língua Portuguesa.

Anúncios

Semana da leitura

28 Fevereiro 2009

A Semana da Leitura está aí mesmo a chegar. Deixo-vos com este excerto de Daniel Sampaio a propósito dos efeitos da leitura no desenvolvimento das capacidades do cérebro.

«A investigação tem demonstrado a possibilidade de a leitura ampliar as capacidades do cérebro, criando diferentes perspectivas de interpretação da realidade e novas competências no manejo das emoções, contribuindo para a melhor compreensão da complexidade do mundo. Especialistas defendem que o que importa é que a criança leia, sobretudo textos que a mobilizem e não se afigurem desconexos em termos  de espaço e tempo, o que poderá levar ao abandono do livro. Por isso, o interesse de uma criança ou de um adolescente por qualquer tema deverá ser incentivado, porque estará a contribuir para o ganho de hábitos de leitura, que só se poderão consolidar nas idades jovens.
Costuma dizer-se que se pode ler um livro a uma criança desde muito cedo, na prática deve seguir-se o conselho de segurar a criança ao colo e com a mão disponível ler-lhe um episódio qualquer que o faça sonhar: não importa, a princípio, se é ou não um texto de muito valor literário».

Gil Vicente

24 Fevereiro 2009

Gil Vicente denunciou os defeitos da sociedade do seu tempo, seguindo a máxima ridendo castigat mores – a rir se corrigem os costumes. Aliás, o Carnaval pode servir como inspiração da inversão de valores, da crítica mordaz aos erros mais grosseiros da sociedade.

Na sociedade de hoje, embora diferente, poderás encontrar outros tipos sociais com afinidades muito próximas das apresentadas pelo Mestre da corte de D. Manuel e de D. João III.

Desafio-te, então, que escrevas tu próprio um texto dramático (com número de personagens a definir por ti) cujo tema seja a crítica social de uma ou várias classes profissionais.
Se quiseres, poderás optar por redigir antes um texto narrativo com o mesmo tema, mas que privilegie o diálogo entre personagens.

Fernado Salvater e a leitura

17 Fevereiro 2009

O Filósofo espanhol Fernando Salvater fala sobre a leitura na escola. Vejam e digam o que pensam.

O direito de brincar e de nos divertirmos deve ser um direito inalienável de qualquer ser humano. Numa leitura de fim-de-semana, a minha amiga Cristina Pinto partilhou um excerto do livro “O Brincador” de Álvaro Magalhães. Deliciem-se!

«Quando for grande, não quero ser médico, engenheiro ou professor.
Não quero trabalhar de manhã à noite, seja no que for.
Quero brincar de manhã à noite, seja com o que for.
Quando for grande, quero ser um brincador.
Ficam, portanto, a saber: não vou para a escola aprender a ser um médico, um engenheiro ou um professor.
Tenho mais em que pensar e muito mais que fazer.
Tenho tanto que brincar, como brinca um brincador, muito mais o que sonhar, como sonha um sonhador, e também que imaginar, como imagina um imaginador…
A mãe diz que não pode ser, que não é profissão de gente crescida. E depois acrescenta, a suspirar: “é assim a vida”. Custa tanto a acreditar. Pessoas que são capazes, que um dia também foram raparigas e rapazes, mas já não podem brincar.
A vida é assim? Não para mim. Quando for grande, quero ser brincador. Brincar e crescer, crescer e brincar, até a morte vir bater à minha porta. Depois também, sardanisca verde que continua a rabiar mesmo depois de morta. Na minha sepultura, vão escrever: “Aqui jaz um brincador. Era um homem simples e dedicado, muito dado, que se levantava cedo todas as manhãs para ir brincar com as palavras.»

O Brincador,
Álvaro Magalhães

Amor

12 Fevereiro 2009

Por sugestão do meu amigo Pedro, aqui fica um excerto do filme Moulin Rouge (Elehant Love Medoley).

Dia dos Namorados

12 Fevereiro 2009

Como tenho a certeza que o Dia dos Namorados é para todos vós uma data muito especial, pensei propor-vos uma actividade que fosse significativa, criativa e relacionada com a Língua Portuguesa. Porém, o tempo foi passando e, só agora mesmo, me ocorre uma actividade que será certamente motivadora.

Consiste, então, no seguinte: cada um vai seleccionar um poema, um parágrafo de um texto, cujo assunto tenha a ver com amor, amizade, partilha, sentimentos ou outro assunto que se enquadre neste campo semântico.

Claro que, se quiserem também podem apresentar textos da vossa autoria.

Aguardo com muita expectativa os vossos comentários.

[Como o Dia dos Namorados é já no próximo sábado, pelo que poderão apresentar os vossos trabalhos durante o fim-de-semana se assim o entenderem].