Teste de Língua Portuguesa II

29 Novembro 2008

Abrimos aqui mais uma janela para possíveis dúvidas que possam surgir durante a preparação para o teste de língua portuguesa.

Recordo os principais objectivos:

*contextualizar a época de escrita de Os Lusíadas;
*definir epopeia e conhecer a sua estrutura;
*caracterizar a epopeia camoniana;
*conhecer a vida e obra de Luís de Camões.
*compreender as partes iniciais da obra: proposição, invocação e dedicatória.
*definir a acção central de Os Lusíadas;
*compreender o episódio “Consílio dos deuses no Olimpo”;
*identificar recursos estilísticos e a sua expressividade (metáfora, aliteração, eufemismo, comparação, hipérbole, personificação, sinédoque, perífrase);
*identificar os planos da acção (História de Portugal, Deuses, Viagem);
* conjugar verbos no presente do conjuntivo e no imperativo;
* analisar morfológica e sintacticamente (especial atenção às subordinadas temporais, causais, relativas, concessivas, comparativas, condicionais, consecutivas, finais);
*produzir textos de opinião.

51 Responses to “Teste de Língua Portuguesa II”

  1. João Fernandes Says:

    Obrigado por ter colocado os objectivos!
    Continuação de um bom fim-de-semana.

  2. Dulce Enes Says:

    Olá professor

    Antes de mais queria agradecer-lhe por ter colocado os tópicos para o teste.

    O problema é que estou com uma dúvida em relação a um dos tópicos: definir a acção central de “Os Lusíadas”.
    Nao percebo qual é o objectivo.

    Será que me pode ajudar?

    Continuação de bom fim-de-semana.

  3. Paulo Faria Says:

    Não precisam de agradecer. Já sabem que o blogue também serve para estarmos mais próximos.

    Quanto à questão, como sabes a Viagem de Vasco da Gama à Índia é o dizemos que é o plano central; a Intervenção dos Deuses é um plano paralelo, em alternância com o do Viagem; e a a História de Portugal está encaixada no plano central.

  4. Dulce Enes Says:

    Obrigado pela resposta professor

    Continuação de bom fim-de-semana.

  5. Diana Sa Says:

    Obrigado por ter colocado os objectivos para o teste.
    Bom fim-de-semana

  6. Gabriel Vilas Boas Says:

    Obrigado por ter colocado os objectivos para o teste.
    Continuação de um bom fim-de-semana.

  7. Diana Sa Says:

    Professor eu estou com uma dúvida relativamente a um dos tópicos para o teste “identificar os planos da acção (História de Portugal, Deuses, Viagem)”.
    Podia dar-me uma ajudinha?

  8. Luísa Freixo Says:

    Obrigado por ter colocado os tópicos.
    Também tenho a mesma duvida da Diana. Será que podia ajudar-nos?

    Boa Noite!!

  9. Paulo Faria Says:

    Relativamente aos Planos, passo a exemplificar.

    O verso “Por mares nunca dantes navegados” remete-nos para o Plano da Viagem;
    “… Daqueles Reis que foram dilatando” – Plano da História de Portugal;
    “Quando os deuses no Olimpo luminoso” – Plano dos Deuses.

    Creio que estes exemplos, retirados de forma arbitrária de “Os Lusíadas” podem esclarecer as vossas dúvidas.
    Caso não percebam, digam.

  10. Luísa Freixo Says:

    Já compreendi. Obrigado pela explicação.

    Boa Noite!

  11. João Fernandes Says:

    Sim professor, foi muito esclarecedor!
    Por exemplo você pode pedir, a partir de uma estância dar um exemplo do plano dos Deuses.

  12. Paulo Faria Says:

    Sim, João. No caso concreto, pedirei para que me refiram os planos presentes num dado excerto, bem como os intervenientes.

  13. Diana Sa Says:

    Obrigado pela atenção,já compreendi.

  14. João Fernandes Says:

    Professor quando você se refere aos intervenientes, por exemplo se naquela estância fala de Marte o interveniente é Marte?
    Desculpe o incómodo.
    Bom fim-de-semana

  15. Daniel Fonseca Says:

    Obrigado por ter colocado os tópicos!!
    Bom fim-de-semana

  16. Paulo Faria Says:

    Sim, João, como numa narrativa, na epopeia há espaço e personagens.

  17. João Fernandes Says:

    Ok. Obrigado!

  18. Sofia Vale Says:

    O que é necessário saber acerca da vida e obra de Luís de Camões?

  19. Paulo Faria Says:

    Como sempre disse, Sofia, não é necessário saber muito, mas terás que ter em conta os principais aspectos biográficos do maior escritor português. E também saber em que ano foram publicados “Os Lusíadas”.

  20. Paulo Faria Says:

    Sofia, depois da resposta, encontrei um texto, embora difícil de ler porque está escrito em português antigo, é um texto fascinante. Penso que irias gostar muito de ler.
    Então, se fores ao blogroll, ao ponto Livros, abres o link que diz “Os Lusíadas”; o prefácio, que é logo o primeiro ponto, foi escrito por Teófilo Braga, um homem das letras. Ora tenta e diz alguma coisa.

  21. João Fernandes Says:

    Professor para o teste é necessário saber as razões porque os Deuses estão a favor ou contra?
    Aguado uma resposta!

  22. João Fernandes Says:

    Obrigado!

  23. Sofia Vale Says:

    É sem dúvida um texto fascinante sobre Camões.

    Obrigada.

    Boa noite e bom feriado!

  24. Ana Gomes Says:

    Obrigada por ter colocado os tópicos.
    Continuação de um bom feriado!

  25. Gabriel Vilas Boas Says:

    Olá professor, acerca de contextualizar a época de escrita de “Os Lusíadas” é para saber se é uma epopeia de séc. XVI?
    Aguardo resposta.
    Bom feriado

  26. João Fernandes Says:

    Professor temos de saber o aspecto verbal? E a função apelativa??
    Aguardo resposta!
    Bom feriado…

  27. Paulo Faria Says:

    Antes de tudo, espero que aproveitem os bocadinhos de sol neste feriado.

    Depois, se tiverem possibilidade falem com os vossos colegas acerca do teste, dos objectivos e das conversas que vamos tendo por aqui.

    Gabriel, sabes que é fundamental perceber em que contexto surge a epopeia e todos os movimentos da altura, com destaque para o Renascimento. Isto é cultura geral…

    João, tu sabes o que é o aspecto verbal? Eu acho que sim. Quando falámos na utilização da conjugação perifrástica e do uso do gerúndio, por exemplo, concluímos que nos transmitia a ideia de continuidade da acção; diferente, por exemplo, de utilizar um verbo no pretérito perfeito, como “comprei um livro”. Neste caso, percebes que nos transmite a ideia de que a acção foi concluída, está terminada.

    Uma boa tarde para todos e bom feriado.

  28. Paulo Faria Says:

    Só mais uma coisa: quem não sabe as funções da linguagem? Nunca ouviram falar?

  29. Gabriel Vilas Boas Says:

    O que é professor?
    Bom feriado.

  30. João Fernandes Says:

    Sim professor, claro que sei.
    Eu dou outro exemplo.
    Eu vou lendo o livro, significa que vai lendo aos poucos.
    Mas temos de saber isto??

  31. João Fernandes Says:

    Ja ouvi falar nas funçoes, por exemplo a função fática, metalinguística não é??

  32. carla enes Says:

    As Funções da Linguagem

    Funções da linguagem são recursos de ênfase que atuam segundo a intenção do produtor da mensagem, cada qual abordando um diferente elemento da comunicação. Um texto pode possuir mais de uma função enfatizada.

    Função emotiva ou expressiva – a mensagem é centrada nas opiniões e emoções do emissor. Geralmente usa-se a 1ª pessoa do singular, interjeições e exclamações. O texto é pessoal, subjetivo. Exemplos: biografias, memórias, poesias líricas e cartas de amor.

    Função referencial ou denotativa – a mensagem é centrada no receptor, o objetivo é informá-lo. O emissor procura fornecer informações da realidade, sem a opinião pessoal, de forma objetiva, direta, denotativa. A ênfase é dada ao conteúdo, às informações. Geralmente usa-se a 3ª pessoa do singular. Exemplos: textos jornalísticos e científicos.

    Função apelativa ou conativa – a mensagem é centrada no receptor e organiza-se de forma a influenciá-lo. Geralmente usa-se a 2ª e 3ª pessoa, vocativos e imperativo. Exemplos: discursos, sermões, textos de publicidade e propaganda.

    Função fática – o canal é posto em destaque. O interesse do emissor é emitir e simplesmente testar ou chamar a atenção para o canal. Exemplos típicos da função fática são: “alô”, “pronto”, “oi”, “tudo bem?” “boa tarde”, “sentem-se”, etc. Ou na propaganda, de forma a chamar a atenção, a tipografia, layout, etc.

    Função poética – é aquela que põe em evidência a forma da mensagem, ou seja, que se preocupa mais em “como dizer” do que com “o que dizer”. A mensagem é posta em destaque, chamando atenção para o modo como foi organizada. É afetiva, sugestiva, conotativa, metafórica. Valorizam-se as palavras e suas combinações. Exemplos: linguagem figurada apresentada em obras literárias, letras de música, em algumas propagandas. Características: -Subjetividade -Figuras de linguagem -Brincadeiras com o código -Poesia -Letras de músicas -Propaganda

    Função metalingüística – o código lingüístico é posto em destaque. Usa-se o código para falar dele mesmo. Exemplos: dicionários, gramáticas, textos que analisam textos, poesias que abordam o assunto poesia.

    Esse modelo foi proposto por Roman Jakobson no livro Lingüística e Comunicação (1970). Um outro linguista propôs uma sétima função, que é lúdica. Ela se encaixa nos textos como “uni duni tê, salameminguê”.

    Eu coloquei isto no blog o ano passado em Outubro, http://carlaenes.blog.com/2173616/#cmts

  33. carla enes Says:

    Isto é preciso saber?

  34. Paulo Faria Says:

    Claro, João. As funções da linguagem são para saber.

  35. Gabriel Vilas Boas Says:

    Obrigado Carla.
    Não sei se é para saber.
    Bom feriado

  36. João Fernandes Says:

    Não percebi é para saber o aspecto verbal ou as funções de linguagem??

  37. carla enes Says:

    Mas é para saber para o teste?

  38. carla enes Says:

    Quais é que são as razões de Júpiter?

    1- Os Fados tinham já determinado que os Portugueses ultrapassassem a glória dos Assírios, Persas, Gregos e Romanos.

    É só esta a razão de Júpiter?

    A ajuda divina

    e

    A coragem e o valor dos Portugueses, de todos os outros deuses já conhecida, comparando os Portugueses aos heróis antigos, cuja fama será superada

    São outras razões de Júpiter?


  39. Olá professor queria agradecer por ter postado os objectivos para o teste. vão dar muito jeito a mim e aos meus colegas.

  40. Nuno Neiva Says:

    Obrigado por colocar os objectivos para o teste.

  41. Gabriel Vilas Boas Says:

    Boa noite,
    Carla acho que as razões de Júpiter é as referências à intenção favorável do Fados, ao sucesso dos portugueses na Índia; decisão de apoiar a já desgastada frota de Vasco da Gama, na costa africana.
    Penso que seja isto.
    Resto de bom feriado.

  42. carla enes Says:

    Obrigada.
    Bom feriado.


  43. Obrigado por ter colocado aqui os objectivos.
    Continuaçao de bom Feriado.

  44. edgar dias Says:

    bom dia!

    gostava que me esclarecessem, nesta questao: quais as expressoes na proposiçao que já remetem para os quatro planos estruturais?

    desde ja, obrigado.

  45. Cátia Says:

    nao percebo nada da materia stor! explique-me! obrigado

  46. Carla Says:

    nao percebo nada da materia stor! explique-me! sff

  47. Sara Branco Says:

    ajude-me ! é dificil!

    pff

  48. Gabriela Costa Says:

    Bom-dia, colega:
    Encontrei agora mesmo o seu blogue e fiquei entusiasmada com a ideia de ter espaços específicos para cada aluno (tenho 136! entre língua portuguesa e francês. Estou para passar para a plataforma moodle da escola o meu blogue para francês, mas o PT está a dar-nos “água pela barba”…
    Vou continuar a aceder ao blogue do colega, desejo-lhe um bom-dia e bom Domingo.
    Gabriela Costa (Lisboa, E.B.I.Quinta de Marrocos)

  49. Paulo Faria Says:

    Faço votos para que o projecto corra bem!
    Um bom domingo!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: